Primeira mesa de GLOSAS em Salvador


A glosa, uma das modalidades de poesia de improviso, é uma prática tradicional e autêntica desenvolvida no sertão de Pernambuco, exercida no dia a dia pelos/as poetas glosadores/as, de maneira informal, como uma brincadeira de roda de improviso sem viola.

Dia 14 de abril (sábado), às 14h, no Museu de Arte da Bahia - MAB (Corredor da Vitória) será realizada  a mesa de glosas com os/as poetas Genildo Santana (Tabira), Dayane Rocha (Tabira), Zé Adalberto (Itapetim), Clécio Rimas (Serra Talhada) e Elenilda Amaral (Afogados da Ingazeira), todos(as) poetas  do Sertão do Pajeú, berço da poesia nordestina. A apresentação da mesa e bate papo introdutório sobre o tema "De repente um mote" serão feitos pela poeta recifense Luna Vitrolira.

A primeira mesa de glosas desta circulação foi realizada em maio de 2017, dentro da programação da FESTIPOA, em Porto Alegre/RS. A segunda foi realizada em outubro de 2017, dentro da Pré‐Balada Literária comandada por Marcelino Freire, em Teresina/PI. Salvador será a cidade de encerramento desta circulação, que foi idealizada por Luna Vitrolira, tem coordenação de produção de Alexandre Melo, também do Recife, e financiamento do Fundo de Cultura de Pernambuco, FUNDARPE, Secretaria de Cultura e Governo de Pernambuco. Em Salvador, conta com produção local da poeta/performer grapiúna Daniela Galdino, apoio de Profundanças, Voo Audiovisual, Editora Organismo, além do apoio institucional do Museu de Arte da Bahia - MAB, IPAC e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

atividade é gratuita e integra a programação oficial do MAB, no projeto Diálogos Contemporâneos.


7 visualizações
  • whatsapp_PNG8
  • Facebook - White Circle
  • Pinterest - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2023 por Jade & André. Editado LEMOS MARKETING